fbpx

Volta às aulas: 6 Passos para Elaborar o PDI

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no print

A volta às aulas está sempre acompanhada de muitas expectativas sobre o desenvolvimento e aprendizado do aluno na Educação Especial.

Há também muitas indagações e dúvidas pairando sobre como promover o desenvolvimento, aprendizado e as estratégias que serão usadas para o trabalho que será desenvolvido com o aluno durante o seu percurso escolar.

question

Porém, para que isso aconteça na prática é necessário a construção de uma proposta pedagógica muito bem estruturada, para que o aluno tenha não só o acesso, mas também a garantia de percurso e permanência.

E não acredito que tudo isso seja possível sem a elaboração de um PDI muito bem estruturado, contendo objetivos claros, consistentes e focado na realidade do aluno.

O PDI, Plano de Desenvolvimento Individual do Aluno constitui-se em um roteiro de identificação, avaliação e intervenção pedagógica assertivo e personalizado para o aluno público alvo da educação especial.

Para mim, falar do PDI é falar de garantia do desenvolvimento educacional do aluno público alvo da educação especial, por isso é fundamental e indispensável a sua elaboração.

É muito importante que o PDI deve seja elaborado desde o início da vida escolar do aluno já que é um documento comprobatório de escolaridade e deve compor obrigatoriamente a pasta individual do aluno.

É por isso que nas próximas linhas vou mostrar para você que com apenas 06 passos você pode garantir que seu aluno tenha um PDI que garanta a ele acesso, permanência e percurso escolar de qualidade.

Embora pareça simples, se você não começar por esse primeiro passo eu te asseguro que o fracasso escolar do aluno está anunciado. Vamos conhecê-lo então:

 

student (2)

1º PASSO: QUEM É O ALUNO!?

Para elaborar um PDI que funciona é extremamente importante conhecer o aluno que receberá o atendimento. Parece óbvio, mas muitos professores não sabem quem são os alunos que atendem.

Conhecer bem o aluno é fundamental para um trabalho pedagógico bem sucedido. O professor deve saber não somente o diagnóstico médico, mas também sua história de vida, suas habilidades, seu potencial de aprendizado e claro suas dificuldades e limitações.

 

doctor (1)

2º PASSO: PERSPECTIVA MÉDICA / DIAGNÓSTICO!

Para elaborar um PDI que funciona é importante  também considerar o diagnóstico.

Assim, o trabalho pedagógico será focado nas necessidades educacionais especiais decorrentes do diagnóstico.

Mas aqui há algo importante de destacar!

O diagnóstico não pode ser utilizado como um meio para justificar o não aprendizado ou para definir o destino do aluno.

Saber qual é o diagnóstico e suas implicações nos proporciona saber o ponto de partida para o trabalho pedagógico.

E quando não é possível saber qual é o diagnóstico?

Neste caso, o trabalho pedagógico vai ser baseado em hipóteses, ou seja, em tentativa e erro.

É Por isso, que é fundamental conhecer o diagnóstico para assim buscarmos a intervenção que seja mais adequada à necessidade educacional do aluno apontada no diagnóstico.

O Atendimento Educacional Especializado está fundamentado em oferecer ao aluno o atendimento de suas necessidades educacionais especiais criando assim condições que favoreçam o aprendizado e a superação das barreiras educacionais antes existentes.

 

list

3º PASSO: AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA INICIAL

Ela é responsável por reunir todo o conhecimento prévio do aluno.

Por meio dela é possível identificar quais serão os melhores recursos, estratégias e metodologias adequados à necessidade educacional do aluno e favorecer o seu desempenho escolar.

Aqui o professor vai buscar conhecer os aspectos motor e psicomotor, Linguagem, Percepção, Raciocínio Lógico, Capacidade de relacionamento pessoal e interpessoal entre outros aspectos importantes no processo de aprendizado.

É com o resultado da Avaliação Diagnóstica que o professor estará reunindo as ferramentas necessárias para se preparar para o Planejamento Pedagógico, que é o próximo passo.

 

test

 4º PASSO: PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO

Seu foco deve estar em organizar o espaço, tempo, materiais, atividades e estratégias de trabalho e propor novas ações à partir da reflexão do trabalho diário.

O Planejamento Pedagógico permite que o professor atue de forma intencional, já que ele vai propor ações diretamente relacionadas ao avanço educacional do aluno.

Trabalhar de forma intencional é deixar de lado as atividades soltas e sem propósito e colocar no lugar tudo o que favorece o desenvolvimento daquilo que é uma dificuldade para o aluno.

E isso é possível porque a Avaliação Diagnóstica Inicial, conforme passo anterior, foi devidamente observada e aplicada.

Planejar eu sei que não é nada fácil, mas se torna possível de alcançar um bom resultado quando você conhece e descobre o que fazer ao invés de buscar uma fórmula.

 

notepad

 5º PASSO: AVALIAÇÃO DE MONITORAMENTO

Ela tem a ver com considerar o desenvolvimento do aluno no decorrer do processo de construção do conhecimento.

Com isso é possível avaliar continuamente os avanços e progressos, além de traçar novas rotas para aquilo que não foi alcançado.

Monitorar o processo de avaliação não tem a ver com julgar o aluno no que ele sabe e no que ele não sabe.

Tem a ver com verificar o que deu certo e o que não deu e com base nessas informações planejar novas atividades e, se necessário, buscar novas formas de ensinar.

Perceba que esse é um passo importantíssimo para elaborar um PDI, pois ele vai indicar se o aprendizado está acontecendo ou não. Concorda!?

E o sexto e último passo, são as Adequações Curriculares.

 

compass

6º PASSO: ADEQUAÇÕES CURRICULARES

Elas beneficiam o desenvolvimento escolar do aluno e permite que participem da maioria, senão de todas as atividades comuns à turma.

Isso porque as adequações permitem ao professor identificar e intervir nos fatores que impedem o processo de ensino aprendizagem e a efetiva participação do estudante, com toda a turma.

As adequações têm o objetivo de trazer um equilíbrio entre a necessidade educacional especial do aluno e a proposta curricular da escola.

A verdade é que nem sempre o aluno será inserido no currículo no primeiro dia de aula, pois serão necessárias ações que levem o aluno a se adaptar ao ambiente escolar.

Há ainda outras que requerem recursos especiais e envolvem adaptações mais sofisticadas que vão gerar respostas educacionais lentas mas progressivas.

Porém, o que é importante destacar é que para que as adequações sejam possíveis, será necessário compreender que o currículo deve ser dinâmico, alterável e passível de ampliação.

Encerramos aqui os 06 passos para Elaborar um PDI que funciona.

Eles não caracterizam uma receita, mas dão direções significativas para quem pretende construir um PDI que faça sentido e leve o aluno a um aprendizado efetivo.

E se você quiser ter essas informações de forma condensada com você, baixe aqui o e-book que criei para te ajudar sempre que precisar elaborar se PDI.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Outros conteúdos: